Meu trabalho, Terapia Integrativa

A frustração nossa de cada dia….. Como vencer esta difícil sensação.

Quem nunca…….

Quantas vezes você ouviu um redondo NÃO, quantas foram as vezes que você muito empolgada(o) em alcançar um objetivo determinado acabou desanimando, se perdendo ou até desistindo por conta da tal frustração?!

Segundo Wikipédia Frustração é um estado emocional que acompanha a interrupção de um comportamento motivado, ou seja é um estado psíquico que resulta do bloqueio da motivação provocada por qualquer barreira que impede de alcançar um projeto ou um objectivo. As fontes da frustração podem ser internas ou externas.

Desde pequenos aprendemos a lidar com este estado emocional, somos estimulados pelo meio, na escola, família ou você não se lembra de quantas vezes na infância ou adolescência precisou lidar com esta frase “Você não é todo mundo!”, “A mãe não tem dinheiro”, “Você não pode”, enfim, passaríamos horas e horas falando de tantas frases que desde pequenos escutamos e que vem como verdadeira avalanche sobre nossos sonhos, desejos e vontades, por mais simples que estes fossem, como ir na casa de uma amiguinha por exemplo.

Era Dezembro de 1986, eu tinha 10 anos e já havia conhecido a dona frustração algumas vezes, questões familiares, financeiras, saúde, sim já havia acontecido bastante coisa rsrs, mas então veio aquela que marcaria minha infância e se tornaria algo para não se esquecer tão cedo……… a boneca bate palminha (nossa…. aff…….snif).

Sonhei com a tal bonequinha loirinha de olhos azuis que batia palminha “sozinha”, me via trocando roupinha nela, penteando os cabelos, lembro de sonhar que achava uma caixa com uma dentro abandonada na rua, outra vez que uma vizinha me dava de presente, palpitações constantes e bem bem pouca condição de realizar de fato o sonho.

O tempo passa então começamos a fazer planos futuros, imaginando que quando “crescer” não passaremos mais por tais dissabores. Mas lá vem os 18 anos e até antes disso já tivemos nossas primeiras desilusões amorosas, com amigos, afffff com a vida kkkkk.

Pensando que tudo melhoraria começamos sem querer repetir a frase “A vida é dura”, “nunca disse que seria fácil”, blá blá blá negativo não nos falta, tudo isso porque nosso foco e atenção está nela a danada, a malvada “frustração“.

Talvez você que esteja lendo este artigo pense como eu pensava tempos atrás que a frustração é um sentimento terrível, que faz imergir de dentro de nós os mais terríveis sentimentos e emoções, inveja, ira, nojo, raiva, rancor e desilusão.

Mas tenho uma boa notícia, esta mesma frustração que lhe fez sentir tão pequena(o) diversas vezes, pode se tornar um combustível fantástico para impulsionar seu autodesenvolvimento, seu crescimento pessoal, profissional e mais, ouso dizer que pode te fazer chegar mais rápido ao seu objetivo.

Ah ta! Mas como? Como se fosse simples assim!!! E é.

Vou deixar para você um rápido exercício que me ajudou muitas vezes a transformar a frustração e a raiva por necessidades não satisfeitas, por objetivos que pareciam inalcançáveis, em energia e motivação para chegar onde queria.

1- Pare de ter peninha de você – É isto mesmo, pare de mimimi, você não é a única pessoa sofredora do mundo e ficar reclamando não irá fazer com que se sinta melhor.

2- Preste atenção nos sinais – Sempre há indícios de que as coisas não irão acontecer exatamente como esperamos, aquele sentir interno, você sente um desconforto, uma sensação, olha quando você começa a “ler” e compreender o que seu corpo está te dizendo, evita e muito a probabilidade de se frustrar. É aquela frase “Nossa, parece que eu estava sentindo”, ou ainda “Tem algo errado, algo não está batendo”.

3- Retire aprendizados – De cada frustração que sofreu, olhe bem com carinho e paciência, quais foram os aprendizados que ajudaram você a ser melhor, mais cautelosa(o), talvez agir menos por impulso. Sempre há aprendizados em tudo que nos acontece, mas as coisas negativas, ahhhh estas são mestres em nos ensinar.

4- Olhe para frente, mas viva o momento presente – Saber onde se quer chegar é excelente, mas saber viver o momento atual de vida é imprescindível, é no aqui e agora que tudo acontece, não é lá no passado onde você se frustrou, nem no futuro onde você tem medo de se frustrar de novo, aqui e agora você define como será no futuro e o quanto o passado irá te segurar.

5- Quinta mas não menos importante, Respeite sua história – Pare de se culpar, pare de choramingar para um e para outro, tome todos os dias uma bela dose de desconfiômetro, e entenda ninguém resolverá nada por você, erga essa cabeça, acolha suas falhas, se perdoe e acredite que você pode ser muito melhor do que era ontem.

Estamos em constante evolução, cabe a nós aproveitar os aprendizados de nossa história para transformar em algo do que possamos nos orgulhar, ou nos tornarmos vítimas das nossas frustrações diárias, nos tornando rabujentas(os), inseguros e derrotados ao longo da nossa jornada.

A escolha é sua, assim como a vida é sua, todos os dias temos um mundo com infinitas possibilidades… Nossas escolhas definem nossos resultados.

Um abraço com o aroma acolhedor do Vetiver….. Mari Santana

Coaching e Desenvolvimento, Meu trabalho, Terapia Integrativa

Coaching e Terapia – Como eles podem te ajudar a se desenvolver.

Atualmente estamos vivendo tempos de muito desenvolvimento, o mercado de autoconhecimento está aquecido, e todos os dias vemos novidades no que se refere a se desenvolver, reconhecer suas habilidades e especialmente potencializar as suas melhores características.

Trabalho com Coaching e Desenvolvimento, aliás mesmo em 20 anos em que me dediquei à área da beleza, hoje posso realmente dizer que já me dedicava ao desenvolvimento humano e nem sabia, todos os dias mulheres dos mais diversos níveis, estilos, sonhos e perfis apareciam no meu espaço de beleza, para cuidar das sobrancelhas, dos cabelos, fazer uma bela maquiagem, mas hoje consigo perfeitamente ver quantas vezes mesmo sem ainda o profundo conhecimento que tenho desenvolvido ao longo dos últimos 5 anos, eu já ajudava, orientava e muitas vezes planejava estratégias mais assertivas com elas.

Lembro de algumas ocasiões em que eu ficava muito frustrada, pois não conseguia orientar de uma forma adequada ou ainda aprofundar o assunto com uma ou outra que chegava cabisbaixa e não conseguia se expressar.

Minha grande realização foi ao longo do tempo identificar que era aí que estava meu propósito, não estava em embelezar somente por fora, mas eu queria, desejava ardentemente ir além, ajudar a adornar a alma, iluminar o coração e especialmente clarear a mente daquelas pessoas que vinham até mim.

Foi como uma luz que começou a iluminar minha mente e coração, me senti animada, segura e pronta para iniciar minha nova jornada, rumo a uma profissão nova, com seus desafios, seus aprendizados e claro com tudo de maravilhoso que estava por vir. Decidi ser Coach.

“E muito rapidamente descobri que não era o suficiente, para a profundidade que eu queria alcançar nas vidas em que tocasse.”

Foi então que entendi que precisava entender de emoções, de programação e reprogramação mental, técnicas de visualização criativa, hipnose, terapia holística, aromaterapia, e várias outras técnicas e processos, para então começar a pensar em transformar vidas.

Comecei meus estudos de forma tímida, na época eu ainda era aquela menina insegura, medrosa, pouco confiante e cheia de ansiedades, junto com os estudos mergulhei de forma profunda e inteira em um processo terapêutico transformador.

Então vieram os estudos, faculdade de RH, diversos cursos de Coaching (Life, Executive, Professional e Coaching em Grupo, Sistêmico, Coaching Especialista em Crenças….), atualmente estou finalizando uma pós graduação em Gestão de Pessoas com ênfase em processos de coaching e mentoring.

E talvez você que esteja lendo se pergunte o porque é relevante eu te contar minha jornada e meu currículo. Quando lá atrás eu decidi que mudaria o rumo da minha história, eu decidi que faria isto de uma maneira estruturada, com conhecimento e amor, porque somente o desejo de fazer o melhor sem que esteja pautado em estudos profundos e preparação é somente boa vontade não transforma. E se tem algo que eu estava cansada de ter é boa vontade sem conseguir resultados reais em transformação na vida daqueles que me procuravam.

Ao longo desta jornada de autoconhecimento, estudos e desenvolvimento, fui juntando diversos conhecimentos que hoje utilizo em um método assertivo, que tem trazido resultado na vida de centenas de pessoas, somente no ano passado foram mais de 500 atendimentos, neste ano apenas no primeiro trimestre já ultrapassei a marca de 230 atendimentos presenciais e online, realizados, no Japão, Estados Unidos, França, Inglaterra, diversos estados e cidades no Brasil e exterior.

Quais são então os benefícios de associar os processos de coaching com os processos terapêuticos então? Por que realizar um processo tão assertivo, profundo e curativo?

Compreendi ao longo do tempo que muitos dos meus clientes tinham problemas emocionais profundos que os impediam de progredir na carreira, nos negócios e em diversas áreas da vida.

Cuidando do emocional, curando as feridas, dores profundas, traumas da infância, traumas de relacionamento, melhorando a autoestima e segurança em si mesmo, temos um resultado exponencialmente maior quando iniciamos um processo de desenvolvimento na carreira, aliás é muito muito e muito comum acontecer, de a carreira, os negócios e os relacionamentos deslancharem após um processo terapêutico.

Por outro lado com técnicas de coaching iremos traçar um planejamento, vou te ajudar a alcançar os objetivos e te auxiliar neste processo de desenvolvimento que é seu.

Gosto demais da frase “Muda, pois, quando a gente muda o mundo muda ao nosso redor”. E isto tenho tido o privilégio de acompanhar de perto na vida das pessoas que passam pelo meu consultório.

Hoje posso afirmar que com o conhecimento, amor e dedicação e um grande desejo no coração podemos alcançar o que parecia inalcançável.

Te convido a vir para uma conversa, me chame no whatshapp e irei te ajudar em suas dúvidas, invista em você.

Mari Santana – Coach & Terapeuta Sistêmico

Coaching e Desenvolvimento, Meu trabalho

Grafologia – Descobertas através da escrita….

Tenho me dedicado aos conhecimentos da Grafologia há alguns meses, realizei formações chegando ao nível avançado e grandes foram as descobertas ao longo do caminho. A primeira foi de que nossas mãos são apenas um veículo (instrumento) para que aconteça o desenho desta escrita.

Sendo uma das incríveis invenções humanas, a escrita nos possibilita a comunicação, expressão de ideias e até mesmo a expressão artística, é um poderoso instrumento em todos os âmbitos seja nos relacionamentos, na vida escolar e corporativa. A escrita facilita nossa vida, nos permitindo por meio dela muitas vezes expressar sensações, emoções e sentimentos guardados dentro de nós.

Mesmo sendo considerada uma Pseudo-ciência é amplamente utilizada para processos de autoconhecimento, processos seletivos e até mesmo nas áreas jurídicas (perícia grafológica).

No começo do século 17 apareceram os primeiros livros sobre o tema, sendo mais levado a sério pelos franceses do Séc. 19, algumas características como ligação, inclinação, tamanho, pressão, tensão, entre outros, fornecem ao especialista em grafologia, elementos para fazer a “leitura” do perfil do indivíduo, personalidade, características emocionais, tendências de comportamento, habilidades e competências, inclusive as aptidões aparecem de forma bastante consistente neste estudo.

Através do Mapeamento Grafológico podemos inclusive determinar de maneira mais assertiva candidatos para uma determinada vaga, analisando o perfil do mesmo com seus pontos favoráveis ou de melhoria; Quem nunca foi em um processo seletivo e acabou tendo que escrever uma redação de no mínimo tantas linhas, com tema livre e em uma folha de papel sulfite não é mesmo?

Proporciona aos processos de seleção ou ainda de projeção de carreira uma assertividade muito grande, pois tendo-se evidenciado o perfil favorável ou não de determinado candidato, ganha-se em tempo e recursos.

Também é bastante utilizado no autoconhecimento, pois o relatório traz ao candidato alguns detalhes de seu perfil de maneira bastante detalhada, o que favorece para que possa trabalhar em seus pontos de melhoria e “polir” ainda mais seus pontos fortes. O que lhe dá projeção muito maior em diversas áreas da vida incluindo relacionamentos.

Uma das modalidades que mais gosto de aplicar e na qual tenho me especializado é o teste vocacional através da análise grafológica, é algo muito recompensador auxiliar um jovem que está em fase de vestibular e que ainda não se decidiu, ou até mesmo uma pessoa em transição de carreira ou que deseja se recolocar no mercado de trabalho de maneira mais assertiva. O teste nos apresenta até a 3ª opção de área, incluindo quais as profissões dentro de cada área que mais se encaixa nos interesses / aptidões do mesmo.

De fato o estudo da escrita tem sido para mim uma incrível ferramenta para auxiliar as diversas pessoas que passam por meu consultório diariamente, recentemente tenho levado este trabalho para escolas de ensino médio proporcionando para os alunos muito mais segurança em um momento tão importante da vida que é a escolha da sua profissão.

Se você quer conhecer mais sobre a Grafologia agende um horário e tenho certeza que irá se surpreender com as diversas descobertas sobre esta pessoa extraordinária que é você.

Clique aqui e fale comigo.

Mari Santana – Coach & Terapeuta Sistêmico

Meu trabalho, Na sala de aula, Terapia Integrativa

A dor de não sentir dor……

” A vida é difícil”

“Não é bem assim…..”

“É matar um leão por dia……”

“Tadinho claro que vai chorar, nascer não é fácil, ainda mais neste mundo horrível…..”

Nem dá tempo de nascer direito e já começamos ouvir coisas assim, lembro de quando estava internada para ter meu filho, quando uma colega de quarto falava, – “ai não aguento mais de dor, mas dá uma dó de deixar nascer para ver este mundo terrível do jeito que está, mal nasce já tem conta pra pagar….. não é fácil viver…..”.

Fico me perguntando hoje que tenho estudado tanto sobre as emoções, quais as memórias e padrões uma frase assim imprimem na criança antes mesmo de nascer, e mais, quanto tempo da vida dele irá demorar para ressignificar isto, pior é pensar na possibilidade de ao longo da vida precisar “vivenciar” na prática, o que será produzido por estes padrões limitantes.

Traumas, dores, constantes frustrações, e cada dia mais cedo vamos perdendo nossa essência, o impacto da vida familiar desestruturada, pessoas sedentas de algo que ainda não sabem o que é exatamente. Cada vez mais perdidos, vazios………………….. já não sentem mais.

Me despertou a atenção uma frase em particular que ouvi de um aluno em uma instituição em que palestrei outro dia, o tema era “Equilíbrio Emocional”, após por quase uma hora falando sobre as emoções, como transitamos entre elas, como elas interferem em nosso dia a dia se desequilibradas, medo, ira, alegria e tristeza. Abri então o espaço para perguntas, quão grande minha surpresa, quando ele me disse: – “Mari, e quando não sentimos nada? E quando não dói, mas também não há alegria? Eu não sinto nada.

Não sentir também é sentir, mas em outro nível, é como se anestesiasse uma dor para que não seja olhada mais de perto, parece sem sentido, mas em um outro relato certa vez um paciente me disse que a sua mair dor era não sentir dor, compaixão, alegria ou sequer vontade de rir ou chorar, é como se ele andasse vagando pela vida sem fazer parte dela.

Buscando mais profundamente, encontramos um bloqueio na morte da sua irmã, anos atrás, uma pessoa muito próxima, querida e que ele tinha como sua grande referência, foi ali naquele momento que ele entendeu que não deveria mais “se permitir, sentir nada que o ferisse tanto assim novamente”, bingo, encontramos o momento em que a “anestesia” foi aplicada no seu emocional; Então com técnicas de PNL e Hipnose e um trabalho de ressignificação de memórias foi possível em um dia comum de consulta, em um papo mais descontraído vê-lo gargalhar, e dizer “nossa, nunca ri tanto”, haviam lágrimas nos olhos de rir e de emoção, ele agora “sentia” novamente.



Sentir medo faz com que nosso instinto de proteção e preservação seja ativado. Sentir alegria faz com que possamos nos sentir recompensados por tudo que buscamos, traz satisfação e sentido para nossa vida. Sentir nojo nos faz ter cuidado. Sentir tristeza nos faz jogar para fora dores guardadas, lágrimas lavam nossos olhos e jogam toxinas nocivas ao nosso organismo para fora de nosso corpo.

De fato as emoções equilibradas são fundamentais para a nossa saúde física, emocional, nos relacionamentos. Torna a vida mais leve. Então minha dica para você que parece já não sentir mais suas emoções e para você que as tem sentido de forma exagerada, é que busque se conhecer, tratar as dores guardadas na sua mente consciente e mesmo aquelas das quais você sequer tem conhecimento, isto mesmo, aquilo que você sente, mas que nem sabe o porque.

Os processos terapêuticos são grandes aliados do autoconhecimento, tenho a satisfação de poder ver com meus olhos transformações de vidas, após se permitirem passar pela terapia, PNL, Hipnose e Psicoaromaterapia são meus grandes aliados nesta missão de seguir transformando a minha e outras vidas.

Agende seu horário e se permita conhecer suas infinitas possibilidades.

Grande abraço com o perfume das flores e a alegria que você merece.

Mari Santana Coach & Terapia Integrativa

Coaching e Desenvolvimento, Meu trabalho, Na sala de aula

Os Níveis Neurológicos

Nossa identidade é como o tronco de uma árvore, é o cerne de nosso ser. O tronco de uma árvore desenvolve-se organicamente a partir de uma semente, crescendo com o suporte de uma rede oculta de raízes que mergulham profundamente no solo, provendo força e nutrição. Existe uma rede de “raízes” que se orientam para a luz e o ar provendo outro tipo de nutrição, os galhos e folhas. As raízes e os galhos de uma árvore tanto moldam como são moldados pela ecologia a que pertencem.

De maneira similar, nossa identidade tem suporte em uma “rede” interna de nossos valores pessoais, crenças e capacidades, assim como nosso ser físico e o ambiente. Externamente a identidade é expressa através de nossa participação em um sistema mais amplo; nossa família, relacionamentos profissionais, comunidade e o sistema global do qual somos membros. Fenômenos como “cura”, “alegria”, “compaixão”, “compromisso” e “amor” são os “frutos” do espírito manifestados através de nossa identidade e são expressos e fortalecidos através do desenvolvimento, enriquecimento e crescimento destes dois sistemas de “raízes” – o sistema oculto de nossa neurologia que se desenvolve no solo de nosso corpo, e os galhos e folhas mais amplas de nossa família, comunidade e o sistema global do qual somos parte.

De acordo com a PNL a combinação desta várias dimensões de nossa experiência subjetiva são incorporadas na forma de circuitos neurológicos que podem ser ativados e mobilizados através de padrões de linguagem, estratégias cognitivas e padrões fisiológicos.

Níveis neurológicos são úteis para o estabelecimento de objetivos e resultados. Você pode especificar resultados por:

  • Tipo de ambiente que deseja
  • Como deseja agir
  • Habilidades que deseja
  • Atitudes e crenças que deseja adotar
  • Tipo de pessoa que deseja ser

O próprio pensamento de resultado é uma habilidade ou capacidade, uma abordagem que você adota em todas as decisões que tomar.

Pensamento de resultados se alinha com as suas crenças e valores quando você vê o quão bem funciona e quando se torna um princípio importante em sua vida.

O pensamento de resultado alcança o nível de identidade, quando você se torna o tipo de pessoa que anda em direção aquilo que deseja na vida em vez de deixar isso ao acaso ou para que os outros decidam.

A LINGUAGEM DOS NÍVEIS NEUROLÓGICOS

É possível saber em qual nível uma pessoa está pensando ouvindo as palavras que usa. É possível, por exemplo, mapear todos os cinco níveis usando uma só sentença:

“Eu não posso fazer isso aqui”

Quando o “Eu” é enfatizado, é uma declaração de identidade; “Eu não posso fazer isso aqui”.

Quando o “não posso” é enfatizado, é uma declaração de crença; “Eu não posso fazer isso aqui”.

Quando “fazer” é enfatizado, é uma declaração de capacidade; “Eu não posso fazer isso aqui”.

Quando “isso” é enfatizado, é uma declaração de comportamento; “Eu não posso fazer isso aqui”.

Quando “aqui” é enfatizado, é uma declaração de ambiente; “Eu não posso fazer isso aqui“.

Eis alguns exemplos de declarações que mostram claramente o nível a que se referem:

Identidade: “Sou um bom gerente” Crença: “Fazer terapia me ajudou muito na minha vida” Capacidade: “Tenho excelentes habilidades em comunicação” Comportamento: “Fui mal naquela avaliação”

Confundir níveis neurológicos causa muitos problemas. O problema mais importante é a confusão entre comportamento e identidade. Crianças e adolescentes ouvem com frequência. “Você é mau”, “Você é difícil” (declarações de identidade), quando fazem algo errado (comportamento). Consequentemente, muitas pessoas acreditam que são o que fazem e se julgam de acordo. Mas cada um de nós é uma pessoa capaz de fazer coisas e nem todos serão aprovadas pelos outros.

A constante busca por aprovação, tem feito com que crianças, jovens e adultos, se desconectem de suas essências, se percam de suas identidades e acabem se auto rotulando como pessoas sem capacidades, imprestáveis e cuja vida não tem sentido, daí percebemos o assustador índice de suicídios, violência, pessoas desesperadas que não se conhecem ou reconhecem, mas que estão sedentas por reconhecimento alheio, ainda que da maneira mais drástica ou negativa.

Níveis neurológicos separam o ato da pessoa!! Você não é o seu comportamento.

fonte: Instituto de bem com a vida – Apost. Master em PNL – 2018

Mari Santana – Terapia integrativa & Coach

Falar comigo? Clique aqui



Coaching e Desenvolvimento, Na sala de aula

Professores e a tarefa de dar feedbacks

Você professor (a) sabe exatamente do que estou falando, temos vivido dias complicados no que se refere a comunicação ser assertiva, uma palavra e pronto, um mundo caindo sobre a cabeça do professor.

A educação que antigamente era responsabilidade dos pais, hoje tem sido delegada aos professores, pedagogos e tem tornado cada vez mais complexa a comunicação entre docente e discente, não é difícil encontrar relatos de discussões, agressões verbais e físicas contra professores e até mesmo professores que perdem a linha e acabam agredindo os alunos.

Seja no que se refere as disciplinas, comportamentos ou ainda habilidades a serem desenvolvidas o feedback é uma ferramenta poderosa para que se possa integrar o aluno ao processo educacional de maneira que seu desenvolvimento seja reconhecido ou ampliado.

Dar feedbacks aos seus alunos é importante, é uma forma de desenvolvê-los. Mas você sabe se esta fazendo da maneira correta?

O feedback tem que fazer o aluno se sentir motivado a buscar a evolução.

Hoje separei para você, professor, dicas de como dar feedbacks aos seus alunos de forma mais produtiva e assertiva:

  • Reserve momentos específicos para isso: Semanalmente, quinzenal ou até mesmo mensal, mas que seja programado em um momento específico e com objetivo determinado.
  • Não exponha o aluno diante da turma: Esta atitude pode causar algum tipo de constrangimento e até bullying, quando for um feedback “ruim”. E quando for “bom”, pode fazer com que haja desmotivação por parte de quem ainda não está indo bem.
  • Cada aluno tem suas limitações e qualidades. Tenha empatia. Apresente sempre 2 a 3 pontos positivos e 1 ponto de melhoria, pois na mente do aluno ficará como um incentivo para manter o comportamento pelo qual foi elogiado, e apresentando um ponto a ser melhorado, também mostrará que ele NÃO é o comportamento dele, esta NÃO é a identidade dele, sendo assim comportamentos e habilidades podem ser desenvolvidos.
  • Mantenha o acompanhamento: Somente dar o feedback não resolve a questão, o acompanhamento constante, com estímulos inclusive (conversas, tarefas, orientação aos pais, encaminhamento psicológico ou médico quando necessário), favorecerá o desenvolvimento promovendo mais tranquilidade para sala de aula.

O Feedback não deve ser apenas no final do ano letivo. Mantenha o acompanhamento de cada aluno e dê feedbacks há cada 3 meses.
.

Você gostaria de um treinamento especial sobre Feedback na sua escola? Clique aqui e fale comigo.

Mari Santana – Especialista em Neuroaprendizagem Avançada.

Meu trabalho, Terapia Integrativa

Coaching ou Terapia? Quais as diferenças?

Hoje vamos falar Terapia, que assim como o coaching trata de questões a serem desenvolvidas na nossa vida, porém, de forma muito profunda, ressignificando traumas, acontecimentos e sensações.

O que então quer dizer a palavra terapia?

Segundo o Dicionário Aurélio Terapia. substantivo feminino tratamento que busca amenizar ou acabar com os efeitos de uma doença (física, psíquica, motora etc.); terapêutica. Técnica que trata doenças ou problemas psíquicos; psicoterapia. expressão. Sua origem: palavra “terapia” vem do grego THERAPEIA, que significa “o ato de curar” ou “ato de reestabelecer.

Muito se falava antigamente e há até quem ainda pense assim que ” terapia é para gente doida”, “ah não sou maluco, pra quê terapia?”, entre outros pensamentos limitantes que fazem parte da nossa sociedade e que estamos acostumados a escutar desde criança. Porém vivemos em tempos cada vez mais difíceis em vários aspectos, a cobrança do dia a dia, questões que vão desde o financeiro ao emocional, pressão para que você seja assim assim assado, um mundo inteiro de julgamento ao nosso redor.


E como lidar com essas pressões? Com os padrões emocionais, comportamentais e as heranças “malditas” de crenças limitantes, desvalorização, baixa estima e insegurança que foram depositando em nós desde que nascemos, pelo ambiente, pela família, pelos amigos……

Aprendemos a viver e conviver com limitações, medos, angustias, inseguranças, e ouvimos ao longo da vida inúmeras vezes que precisávamos ser fortes, que não era bem assim, que logo passa, e vamos engolindo, engolindo, e assim vai se criando um brejo dentro de nós, embotamento mental (temos medo de falar o que sentimos), máscaras, pois começamos a fazer as coisas para agradar e não para nos agradar, nosso padrão de exigência vai baixando, e quando nos apercebemos estamos aceitando com facilidade as migalhas da mesa alheia como se fosse banquete.

É comum que determinados padrões que vimos na infância e adolescência, aqueles que falávamos jamais repetir na vida, comecem a ser repetidos por nós sem nos darmos conta disso, um dia percebemos que estamos gritando como nossa mãe gritava, bebendo como o pai bebia, tendo um companheiro agressor, daquela maneira que juramos que nunca seria repetido em nossa vida. Diante disso muitas pessoas dizem não acreditar na mudança, que nasceu para sofrer, que a vida é difícil e é melhor ir se acostumando!!!! NÃÃÃÃÃÃOOO….

E a vida, a grande vida fica pesada, difícil mesmo de ser vivida, sofrida, triste, sem sabor….

Depressão, ansiedade, falta de ânimo e para ajudar tudo ao redor parece se tornar uma grande bola de neve, problemas só aumentam, decepções amorosas e frustração, como mudar tudo isso? Chega a parecer impossível. Mas a boa notícia é de que sim, é possível mudar padrões de comportamento, sensações indesejadas e assim o rumo da sua vida.

A terapia Integrativa tem como principal função trabalhar o estado do “ser”, permitindo a melhoria do equilíbrio entre corpo, mente e espírito, independentemente de crenças…..

Com técnicas como hipnoterapia, Programação Neurolinguística, Psicoaromaterapia, é possível trabalhar mudanças de Mindset (forma de pensamento), e com a reprogramação mental temos transformações na vida em todos os âmbitos.

A terapia integrativa é complementar aos demais tratamentos que você esteja fazendo, então caso esteja com acompanhamento médico nada impede de associar aos processos acima citados, pois irão potencializar os resultados.

Hipnose: Segundo a atual definição pela Associação Americana de Psicologia, é um estado de consciência que envolve atenção focada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. Na hipnose clínica usamos este estado pleno de atenção para trazer recursos poderosos para o dia a dia do paciente, a grande parte destes recursos já estão no subconsciente e o que fazemos neste processo é promover uma comunicação do consciente com o subconsciente. Muitas pessoas tem receio da hipnose pois associam a lavagem cerebral, perca de consciência….. mas isto é mito.

PNL – Programação Neurolinguística: Desenvolvida por volta da década de 70, esta maravilhosa técnica trabalha na programação de nossos comportamentos. A Programação Neurolinguística estuda estruturas especificas que geram um comportamento, oferecendo técnicas e ferramentas de intervenção nesta estrutura para que o comportamento seja remodelado. Nossa vida e comportamentos são construídos também com base em experiências que tivemos, algumas conscientes, outras de forma inconsciente. Em resumo a PNL oferece técnicas para aprender e desaprender comportamentos.

Psicoaromaterapia: Por ser bastante próximo do sistema límbico (centro de nossas emoções e memórias) o sistema olfativo mais especificamente o nosso nariz (fofoqueiro), é um grande aliado desta técnica, pois com um sistema de 13 aromas da Aromaterapia (laranja, limão, pinheiro silvestre, eucalipto, capim limão, hortelã pimenta, nardo, alecrim, Lavanda fina da frança, tomilho, sálvia dalmaciana, sândalo misory, vetiver). Cada um dos aromas demonstra como nos encontramos neste momento presente em nosso emocional, e quando aceitamos ou gostamos de um deles significa que é o que precisamos equilibrar neste momento. Escolhidos os aromas, faço uma mistura com eles em proporção estudada previamente, e então preparo um perfume terapêutico ou inalador como queira chamar, que será inalado até que acabe e os resultados são incríveis, muito rápido se pode observar a mudança no equilíbrio, concentração e especialmente no sono mais tranquilo.

Em meu consultório utilizo todas estas técnicas em um protocolo criado por mim onde a cada sessão aprofundamos mais no processo de ressignificação de fatos e cura profunda de traumas, é libertador, então um novo padrão mental se instala e é maravilhoso ver o mundo, a vida, os outros e especialmente nós mesmos por esta nova ótica. A vida fica leve, você passa a se acolher, se respeitar e acreditar que merece novas escolhas, agora baseadas no seu padrão, na sua vida, na sua nova percepção de mundo.

Reprogramação mental é a chave que destranca a sua vida

Te convido a conhecer os processos terapêuticos, mudar seus padrões e ter nova vida, gosto de dizer que o terapeuta é como uma lanterna dentro de um túnel escuro, ele não pode te levar a atravessar a escuridão, mas pode iluminar o caminho, e você escolhe se quer ou não seguir o caminho mostrado, tudo começa em nós, mas se quisermos tudo termina em nós também.

Para falar diretamente comigo clique aqui.

Mari Santana – Terapia Integrativa & Coach