Constelação Sistêmica, Terapia Integrativa

Quando o sistema familiar adoece…

Talvez caro leitor, você seja uma das pessoas que assim como eu, um dia parou para se perguntar, ” porque eu sou assim?”, “porque eu tento mudar e não consigo?”, “eu queria fazer diferente, mas é mais forte que eu.”

O sistema familiar é como o corpo humano, cada órgão tem uma função específica, e todos precisam estar conectados, saudáveis e em pleno funcionamento para que todo o sistema familiar funcione adequadamente, quando um órgão por mais simples que seja adoece, todo o sistema sente, é como uma onda que reverbera até muito distante, atuando em órgãos que nem sequer tem ligação direta com o tal órgão adoecido.

Somos assim também em aspectos familiares, memória celular, isto mesmo trazemos a história dos nossos ancestrais em nossa genética, ou você nunca ouviu falar em pré disposição genética, isto mesmo se podemos ter uma doença que um antepassado teve, se podemos ter características físicas como a cor do olho, os traços, os gostos, obviamente assim também o emocional, cultural, os traumas, medos, angústias vividas por eles também virá como uma herança, indesejada, mas virá, até que esta lacuna seja resolvida, ressignificada. Também trazemos recursos poderosos, positivos.

Quantas e quantas gerações antes de nós, pessoas que não se conheceram, não tiveram como tratar suas dores emocionais, não se realizaram profissionalmente, muito provável que se fizéssemos um levantamento, encontraríamos a dor da viúva, o sofrimento do órfão, a luta da mulher abandonada, a dor do homem traído, dos filhos deixados para trás, do trabalhador que morreu na escravidão, do matemático, da enfermeira, nossa quanta gente, quanta história, quantas vitórias, mas quanta dor, e muitas vezes você se olha sem entender de onde vem as dores que sente, a falta de autoestima, insegurança, medo de ser traído, a carência sem explicação, a vontade de morrer……

E então começamos a perceber histórias se repetindo, geração a geração, falamos “Ahhh eu não serei como meu pai, como minha avó”, e um belo dia lá está você igualzinho, repetindo os mesmos comportamentos de pessoas com as quais nem conviveu direito muitas vezes.

O caminho para estas descobertas muitas vezes é longo, doloroso, levamos uma vida sem nos conhecer, sem compreender nossas próprias atitudes, e um belo dia cansamos de carregar o fardo que mal entendemos qual é.

Terapias Complementares tem sido grandes aliadas na cura dos emaranhados sistêmicos, Constelação Sistêmica, PNL, Hipnose, regressão, são somente algumas das técnicas que tenho aplicado nos atendimentos e com resultados surpreendentes, uma técnica das que mais gosto é o Reimprint da Programação Neurolinguística, uma regressão consciente que leva o paciente a há um momento importante onde o trauma, sensação, etc.. fora imprintado (gosto de chamar de carimbo, isto mesmo foi o primeiro “carimbo”) referente a tal sensação.

Que tal se hoje você parasse um pouco para conhecer mais sobre a história da sua família? Quem foram os avós e como foi a vida deles, os bisavós, os seus pais, enfim, tanta riqueza tem escondida em nossas raízes familiares……. inclusive muitas respostas.

Quer conhecer mais sobre terapias sistêmicas? Clique aqui e me envie uma mensagem vamos agendar um horário para você! Siga Transformando a sua e outras vidas………

Abraço com aroma de Vetiver….. Mari Santana

Coaching e Desenvolvimento, Motivação

Separação a dor solitária

Os primeiros momentos são como um filme em que você volta várias vezes para ter certeza se realmente viu o que viu, ou ouviu o que ouviu, ficamos céticos, parece brincadeira, ou ousadia do destino interferir em algo tão definido, certo, decidido.

Aos poucos você se vê inundado de um não sei o que de sentimentos, raiva, frustração, medo, culpa, vergonha, dor e nostalgia, é como se tudo aquilo não pudesse acontecer com você, logo com você que tinha tantas certezas, tantos projetos, sonhos e dependências, sim, dependências, emocional, afetiva, daquela presença que estava ali constante, e então, começa a saudade, sim imediatamente, a saudade do que foi vivido e especialmente do que ainda se poderia viver.

E começa então uma corrida insana, para recuperar o tempo perdido, mas o desgaste já não permite reparo, os dias vão passando é como se a areia movediça tomasse conta de seus pés e os pensamentos fossem tantos que mesmo todo o céu não permitiria compreender sua extensão.

E começa a parte mais difícil, saber que todos vão saber que você falhou, que seu sonho não aconteceria mais, os primeiros pensamentos são e agora? Quando perguntarem e o fulano? Como me adaptar a fazer tudo sozinha(o)? E meus filhos como ficam? Vou envelhecer sozinha(o), nunca mais conseguirei amar; Acabou, sim acabou……

É neste momento que muitas vezes se manifesta a síndrome do coração partido o sentimento de que a vida não irá continuar após tanta dor…

Talvez você esteja se perguntando como posso saber que é assim, afirmo que passei por todas estas fases, e na experiência que tenho tido com meu trabalho identifico cada vez mais este processo acontecendo com homens e mulheres, sim mulheres, homens também sentem o final de uma relação.

A parte mais difícil é sempre o recomeçar, estamos desacreditados do amor, sem motivação e sem esperanças de conseguir um dia ver as coisas de forma diferente.

Mas existe sabedoria no tempo, e ele passa, e com ele vão-se também as dores, ficam algumas marcas e aprendizados, mas sim, é possível superar e permitir-se viver e sorrir novamente.

Lembro que quando passei pelo divórcio, sentia que não era mais possível sonhar com um relacionamento, algo havia quebrado de uma maneira que parecia irremediável, perdi a autoestima, e a autoconfiança baixou quase a zero, tinha muito medo de como seria enfrentar a família, amigos, como seria estar sem ele para me apoiar? Eu vinha de um grave problema de saúde, que transformou meu ex marido em um irmão, foram anos de uma luta incansável para que eu me recuperasse, e quando finalmente me recuperei, ele não e eu não éramos mais os mesmos, ele percebeu antes, eu só percebi naquele dia, em que ele falou que não poderíamos continuar o casamento.

Temos hoje um número gigantesco de pessoas que passam por processos semelhantes, alguns bem traumáticos, no meu caso confesso, que foi muito mais difícil desapegar pela dependência emocional que a doença criou em mim com relação a ele, pois dependi por muito tempo até para conseguir caminhar direito, e durante todo este período tive um parceiro e um amigo incansável, mas a paixão se esgotou, saímos ambos machucados, não foi uma fase fácil, pois eramos considerados por muitos o casal perfeito, e eramos, pois fomos perfeitos um para o outro enquanto foi possível.

O tempo passou e o que restou daqueles terríveis momentos foram lembranças e aprendizados, entre eles, que não podemos depender emocionalmente de ninguém que não seja nós mesmos, que a autoestima e a autoconfiança são bens preciosos, que na hora da angústia os amigos são poucos e os juízes são muitos, e especialmente que tudo passa até a dor.

Este é o período ideal para que você comece a se conectar comigo mesma(o), quando vivenciei este momento busquei primeiramente na fé um alicerce para continuar, posteriormente busquei sites, livros, palestras que me ajudassem a entender o que acontecia comigo internamente.

Baseada naquela fase tão especial da minha vida separei algumas dicas para você que talvez esteja passando por este momento, e se puder te ajudar ao menos a encontrar novas alternativas, já ficarei muito feliz, foi inclusive com elas que consegui superar, recomeçar e até me casar novamente, encontrei um novo amor, que me fez ver a vida de outra maneira, vivemos em harmonia e sem as sombras do passado, e em harmonia com o ex marido, que hoje é um irmão para mim, pois o fato de não existir mais amor no nosso caso não apagou todo respeito e consideração que foram conquistados em longos anos de convivência. Se isto se aplica a todos os casais? Não, claro que não, pois quando há traição, desrespeito ou agressões fica muito difícil se manter um bom relacionamento, mas acredito que as dicas a seguir, seja qual for seu caso lhe ajudarão nesta jornada de recomeço:

  • Reveja sua vida: Faça um levantamento de tudo que deixou de fazer nos últimos anos, metas, projetos e até aquela comidinha que você sempre gostou mas não faz mais, retome, se permita ter um momento só seu, surgirão muitos insights que ajudarão você a organizar esta nova fase.
  • Reorganize o espaço: Guarda roupas, quarto, mude os móveis de lugar, dê uma nova cara para os ambientes, guarde coisas que lembrem momentos que não voltarão mais.
  • Pare de reclamar: Ficar reclamando, choramingando para os outros, contando para um e para outro o quanto você está infeliz sem ele(a) não irá ajudar você a se recuperar, lembre-se, a vítima esta fadada a nunca vencer, seja forte, deixe a vítima de lado.
  • Saia de casa: Uma dica preciosa, este é o momento de passear em um parque, tomar café com uma boa amiga, assistir um filme ou até mesmo sair sem rumo para dar um volta por aí, deixando os pensamentos correrem soltos, mas o principal, não fique parado(a), sentado(a) chorando, respire fundo e saia.
  • Não se jogue logo em outro relacionamento: Isto mesmo, aquela velha história de que um amor se cura com outro, só se aplica para algumas raras exceções, no geral uma pessoa ferida, encontra outra pessoa ferida, para ambos tentarem se curar, o que acaba gerando mais e mais dor, dê-se um tempo, tempo para se reconhecer, ficar inteira(o) e não precisar mais de alguém para te completar, mas sim para complementar.

Uma grande falha é buscar alguém para curar nossas dores, ninguém o fará senão nós mesmos, e só conseguiremos êxito nesta jornada de cura e transformação se nos permitirmos olhar atentamente para nós, com cuidado e acolhimento entendendo que nossa história de vida é única, nem um minuto pode retornar atrás, mas que temos infinitas possibilidades a frente.

E sobre tudo, diga sim para o recomeço quando ele aparecer na sua vida……

Coaching e Desenvolvimento

A jornada dos pais – Coaching Parental

“A primeira etapa do processo é a constatação de que “há algo de errado sobre nós como estamos naturalmente. “Sem essa realização, nada acontece William James

O Coaching Parental é baseado em investigação apreciativa (I.A) entendendo que as famílias possuem em sua essência, as chaves para solução dos conflitos e as repostas para as dinâmicas familiares. Toda a família constituída (seja qual for sua constituição) tem a necessidade de ser capaz de gerar uma solução para os desafios da sua época e para a evolução de seu sistema familiar, além de claro contribuir para todo o sistema da sociedade.

Na análise investigativa todos os membros da família precisam se sentir incluídos e pertencentes.

Cria-se uma abordagem positiva de mudanças que busca resgatar os sucessos alcançados pelo sistema familiar, através da descoberta das suas melhores práticas e conquistas, ao mesmo tempo permitindo que a família atual visualize o futuro colocando as suas próprias soluções, vistas sob um olhar muito mais atual e fazendo frente aos desafios modernos. JACQUELINE VILELA

Na investigação Apreciativa temos como foco trabalhar:

  • Os pontos fortes dos pais, ensinando-os a aprender, reconhecer e valorizar suas conquistas
  • Mapear o que esta funcionando bem e descobrir como estender isso a outras áreas;
  • Usar o processo de investigação e aprendizagem para realizar sonhos e manter a motivação;
  • Elevar a consciência para que os pais consigam interpretar os fatos de uma maneira menos rasa;
  • Voltar ao lugar de adulto da situação, que contêm o maior número de recursos e capaz de reconhecer e aceitar outros pontos de vista;
  • Estar mais aberto a mudanças e ao aprendizado;

Os filhos cada um deles precisa de apoio adequado seja qual for a fase de desenvolvimento em que esteja, para nutrir e manter-se saudável física, cognitivo, emocional e socialmente, Claro, existem necessidades que são comuns a cada fase e se aplicam para todas as crianças, porém, cada criança é única em algumas de suas necessidades de desenvolvimento e ao seu momento de crescimento, não há como colocar numa forma de um padrão único para todos,

O Coaching Parental atua ajudando os pais a alinhar suas decisões com as melhores práticas comprovadas pela neurociência e a psicologia positiva.

Os Ciclos do Sistema:

  • O casal – Dois indivíduos que decidem formar um casal, decisão que irá mexer com os sistemas familiares das famílias originais, dos próprios indivíduos;
  • Família com filhos pequenos – O casal assume o compromisso de aprender a ser pai ou mãe e dentro do sistema há o movimento de criar um espaço para aceitação e convivência de cada membro;
  • Famílias com adolescentes: Tanto os papéis dos pais como dos filhos sofrerão mudanças consideráveis porque as fronteiras serão ampliadas;
  • A partida do filho: Momento bastante desafiador, quando os pais conseguem ter um retrato dos seus esforços. É a fase que também vai nascendo as novas gerações e eles se tornam avós. Terão que aprender a lidar com o fato de envelhecerem, com as dependências e com o vazio causado pela ausência dos filhos.

Para cada ciclo novo, novos aprendizados são necessários, estruturar o desenvolvimento familiar, ter um método comprovado e assertivo já aplicado nos países mais desenvolvidos do mundo, é com certeza um aliado para ter resultados incríveis e inimagináveis.

O programa é composto por 10 sessões acompanhadas por estímulos para o desenvolvimento pleno do sistema familiar num todo.

Um grande abraço, fale comigo e venha cuidar do seu bem precioso seu sistema familiar.

Mari Santana – Terapeuta Sistêmico & Coach – Siga Transformando a Sua e Outras Vidas

Coaching e Desenvolvimento

Coaching Vocacional

Os dias estão passando, o ensino médio terminando e você ainda não decidiu qual a carreira deve seguir.

Milhares de opções! Mas no que realmente posso ter sucesso? – Talvez você esteja se perguntando isso ha muito tempo, sua família incentiva, orienta, e as vezes até impõe o que considera será o melhor para o seu futuro, mas você ainda está perdido(a)

Pois tenho para você uma novidade que irá deixar seus dias mais tranquilos, o coaching vocacional é uma metodologia que auxilia neste processo de descoberta profissional, inclusive sendo utilizado por profissionais que desejam iniciar em um nova carreira.

Ser bem sucedido, ser bem remunerado e reconhecido são alguns dos maiores desejos quando estamos planejando iniciar os estudos em alguma área, porém, esta realidade está bem longe de boa parte das pessoas.

Escolhas baseadas em mercado, em orientação de outras pessoas, ou pelo “glamour” ou “status” que a profissão possa promover, geralmente são a forma mais errada de se tomar uma decisão tão importante.

O impacto deste erro pode ser fatal para seu bolso, seu tempo, e especialmente causar uma frustração tamanha que venha a afetar todo o seu desempenho inclusive na vida pessoal, fazendo-o sentir limitado, incapaz e infeliz……………AFFFFF QUE EMPENHO.

Quando pensamos em realização profissional o céu é o limite, promove em nós uma sensação de satisfação e intensa felicidade, sim felicidade, imagine você passando horas, dias, anos fazendo algo que simplesmente não tem nada haver com você, daí o índice de stress no trabalho, desmotivação e claro resultados financeiros precários. Pode parecer clichê mas simmmm, um profissional que se identifica com o que faz, que tem aptidão e interesse na sua área de atuação terá muito mais sucesso inclusive financeiro.

E como funciona????

Por meio da aplicação de uma ferramenta científica (grafologia) e testes, como inteligência emocional, teste de interesses e dinâmicas, realizamos o mapeamento de características intelectuais, aptidões e interesses do coachee (cliente).

Como resultado temos um relatório onde irão aparecer as 2 principais áreas profissionais, bem como os 5 cursos relacionados a cada área. O que favorece uma pesquisa mais direcionada evitando perca de tempo, dinheiro e energia.

Após a entrega dos dados o relatório fica pronto em média de 10 dias.

Benefícios da metodologia:

  • Maior assertividade na escolha de uma profissão;
  • Autoconhecimento – Pois favorece para o cliente conhecer mais amplamente suas aptidões e interesses;
  • Evita o alto índice de desistência nos anos iniciais da faculdade;

Se você tem tido muitas opções ou nenhuma, este é o programa ideal para você.

Entre em contato comigo e vamos agendar um bate papo!

Nosso endereço: Rua Arcésio Guimarães, 623 – Jardim Social – Curitiba – PR

Dicas da Mari, Terapia Integrativa

O poder inexplicável de um abraço………

Entre tantos os “poderes e funções” que eu poderia elencar aqui, digo o que para mim é a mais profunda função que se pode designar a algo, o abraço meus amigos é curativo, faz a união entre os que estavam afastados pelas birras e bicos da vida, faz você sentir-se ligado, conectado.

Quem nunca sentiu-se tão sozinho que abraçou um travesseiro para chorar, ou ainda o próprio corpo em um movimento talvez até inconsciente de se auto-acolher.

Você já percebeu que mesmo sem pensar, quando vemos alguém chorando, sofrendo, com dor ou quieto, o primeiro impulso que temos é abraçar esta pessoa? A impressão imediata que temos é que abraçando podemos diminuir a dor do outro, ou até mesmo sanar qualquer sofrimento.

Ou ainda, quando estamos sem chão, nos sentindo abatidos ou sozinhos, vem alguém e nos abraça, e é como se o mundo parasse, tudo melhora, ouso repetir com convicção a frase que ouvi outro dia….

O abraço é a única coisa que quanto mais apertado mais aliviados nos faz sentir.

Albert Einstein disse que a imaginação é mais poderosa que o conhecimento, e que tudo que podemos imaginar podemos criar na nossa realidade externa, sendo assim, quando abraçarmos alguém, uma dica importante é imaginar coisas boas acontecendo para aquela pessoa, boas energias circundando a vida dela, de fato é poderoso imaginar que ela está em um campo protetor energético, com a cor que vier à sua mente. Estaremos assim presenteando ou outro com algo divino e curativo que sai de nós – A intenção.

Se de todo coração e mente sua intenção for positiva, com toda certeza esta pessoa será inundada de uma força e equilíbrio que farão com que ela própria fique surpresa.

Por outro lado o contrário também se aplica, acaso algum dia você já se sentiu mal após um abraço? Alguém que disse que estava ali para te apoiar, mas quando a pessoa saiu você se sentiu muito pior que antes, como se suas energias tivessem sido “sugadas” de você? Devido a isto devemos estar atentos as energias que nos rodeiam e que inconscientemente acabamos atraindo.

Alguns benefícios do abraço……

  • Libera ocitocina ou oxitocina – hormônio responsável pela sensação de felicidade, do amor;
  • Reduz os níveis de cortisol conhecido como hormônio do stress;
  • Relaxa os músculos diminuindo a tensão e ajudando no controle da ansiedade;
  • Libera dopamina, hormônio que aumenta o desejo sexual;
  • Diminui a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos, ajudando inclusive a diminuir o risco de doenças cardíacas;
  • Aumenta consideravelmente os níveis de hemoglobina no sangue, que leva o suprimento vital de oxigênio para todos os órgãos inclusive cérebro e coração;
  • Traz acolhimento e faz-nos sentir pertencentes;

Não bastassem todos estes motivos, o abraço nos conecta com o melhor da nossa humanidade, nos faz sentir conectados ao outro, traz sentimento de pertencimento, amor e amizade………….. use sem moderação.

Um Abraço acolhedor com aroma de Vetiver

Coaching e Desenvolvimento, liderança

Lidere a sua vida.

“Não há nada que seja maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes.”               Albert Einstein

O que a luz do painel de um carro quer dizer quanto acende? Sintomas em nosso corpo e mente são sinais, assim como as luzes no painel de um carro, o que meus sinais querem dizer? Qual a mensagem?

A correria do dia a dia e o grande desejo de conquistar instigado pela mídia e a sociedade, nos fazem a cada momento mais e mais perdermos a noção e a sintonia do que nosso corpo e mente estão sinalizando para nós, vamos nos perdendo de nós mesmos em busca de objetivos externos.

As emoções estão diretamente ligadas aos acontecimentos diários, aliás costumo dizer que o ser humano já nasce emocionado, pois nossa primeira expressão é o choro.

Alegria, tristeza, raiva, medo, nojo…… todas estas emoções tem um papel importante em nossas vidas pois:

  • Nos alertam para o perigo;
  • Nos permitem criar laços com outras pessoas;
  • Fornecem informações sobre nosso estado interno; mas especialmente
  • Influenciam nas tomadas de decisão, e
  • Alteram o nosso comportamento;

E aí é que encontramos o grande problema de não estar com as emoções equilibradas, você perde a liderança sobre si mesmo e sobre seus comportamentos e passa a ser liderado por eles.

Não é incomum problemas no âmbito profissional e pessoal devido aos destemperos do dia a dia. Com isto também não quero dizer que conseguiremos controlar nossas emoções o tempo todo, porém este equilíbrio se dá de forma mais autêntica quando nos conhecemos melhor.

Conhecer seus limites internos e manter o equilíbrio são fundamentais para o sucesso em todas as áreas.

No tocante a vida profissional pessoas que não sabem lidar bem com as suas emoções tendem a ser líderes ou liderados despreparados, gerando dentro da organização conflitos, fofocas, baixa na produtividade da equipe, além de uma grande taxa de absenteísmo.

Um líder que não lidera nem as suas emoções como poderá comandar equipes inteiras? Por outro lado a apatia também não é favorável para ninguém, o ideal é o caminho do meio, o equilíbrio.

Na vida pessoal não é diferente, se no mundo corporativo o destempero emocional causa estragos, imagine então viver uma vida inteira ao lado de alguém que não sabe se controlar, que explode por qualquer motivo, que chora a toa, que tem ataque de nervos por qualquer coisa que não saia conforme o esperado, que tenha ciúmes até da primeira(o) namorada(o) de 500 anos atrás. NÃO DÁ PARA SER FELIZ…….

Quando falo de liderar a si mesmo, me remete muito a uma frase que gosto bastante, tudo começa em nós e se quisermos tudo termina em nós também, hoje são muitos os recursos para quem deseja encontrar o equilíbrio.

Conhecer a si mesmo é um passo fundamental para que isto aconteça, entender que traumas vivenciados no passado, dores há muito guardadas e quem sabe até, que nunca foram compartilhadas com ninguém, tudo isso pode colaborar e muito para uma personalidade difícil, ácida que causa problemas para a própria pessoa bem como para os demais que estão ao seu redor.

Quando começamos a compreender quem somos também temos mais empatia com o próximo, permitindo que o outro seja ele mesmo, com suas qualidades e limitações, um Líder que sabe dosar bem a empatia e o equilíbrio emocional com certeza terá uma equipe que se desenvolverá de forma extraordinária, trazendo grandes benefícios não somente para cada membro mas para a cultura organizacional num todo.

No que se refere a vida pessoal os benefícios são tão maravilhosos quanto, pois quando lideramos a nós mesmos, perdemos a necessidade tão grande de controle sobre as demais pessoas, bem como a necessidade de estar sempre com a razão, passamos a ouvir com mais atenção, olhar mais nos olhos, e nos colocamos no lugar do outro. Sendo assim os relacionamentos se tornam muito mais harmoniosos e prazerosos.

Quem lidera sua própria vida permite ao outro que tenha também liderança sobre si, saindo da relação de dependência, carência, para entrar na esfera do compartilhamento, do caminhar lado a lado, do respeito, pois se não respeito o outro, muito provavelmente nem sequer conheço a mim mesmo(a).

Algumas dicas para que você tenha êxito nesta jornada de liderar a sua vida e suas emoções:

  • Separe por dia pelo menos 5 minutos pela manhã e 5 minutos à noites para que possa meditar, um aplicativo que indico é o “5′ Minutos, Eu Medito“, com ele você conseguirá facilmente cronometrar este tempo precioso para você.
  • Se for o caso busque por processos terapêuticos – Acredite, se mais de uma pessoa esta sinalizando que tem problemas na relação com você, não é possível que todos estejam errados e você certo(a), precisamos ficar atentos aos sinais, e as pessoas que convivem conosco são um excelente termômetro para compreendermos o quanto precisamos ajudar a nós mesmos a sair dos engates emocionais.
  • Cuide da sua alimentação e movimente seu corpo – Parece clichê mas esta dica é real e preciosa, alimentação adequada aliada a exercícios físicos promovem com certeza uma grande sensação de bem estar, o que irá se refletir positivamente no seu dia a dia de forma ampla.

Todos nós podemos experimentar a mudança, evoluir, crescer, basta que tenhamos um olhar amoroso e atento sobre nós mesmos, permitindo que possamos tomar para nós as responsabilidades sobre nossos atos e consequências, enquanto a culpa for vista somente como fator externo (os outros, as circunstâncias) você não terá êxito nesta jornada de se tornar líder da sua própria vida.

Siga transformando a sua e outras vidas.

Mari Santana – Terapeuta Sistêmico & Coach

Meu trabalho, Motivação, Terapia Integrativa

Aquela pessoa que você não conhece.

Bastante comum chegar pessoas para o atendimento, querendo mudanças na sua vida, cansadas de não alcançarem resultados satisfatórios e com muitas frustrações ao longo da vida

Uma das coisas que mais ouço, são solicitações de “quero me transformar em outra pessoa”, “quero esquecer o que eu fiz”, “quero mudar tanto que me torne irreconhecível”, entre muitas outras frases como estas, pessoas que pela bagagem pesada de suas histórias de vida, não suportam mais ser quem são, se rejeitam, e assim também rejeitam sua jornada até ali.

Ao longo da nossa vida vamos escutando coisas que nos diminuem, circunstâncias, acontecimentos ao nosso redor vão aos poucos minando nossa autoestima, autoconfiança e segurança, é como se o fato de ser quem somos, causasse todos os problemas que temos, então, chega uma hora que deixamos de ser quem realmente somos, para nos tornarmos nosso comportamento, “infantil”, “mentirosa(o)”, “irresponsável”, “sem objetivo”, somos taxados de tudo isso e mais um pouco, e a vida fica pesada de se levar.

Já não nos conhecemos, tantas perdas ao longo da nossa vida que inclusive nos perdemos de nós mesmos(as).

Não é raro escutar de pessoas bem sucedidas em seu trabalho, “ah eu sou muito incompetente”, ou ainda outras que estão em relacionamentos estáveis, com parceiros apaixonados e dedicados que dizem “eu não sei porque ele(a) gosta de mim”.

E posso assegurar por experiência própria que tudo isso se dá por falta de um mergulho profundo dentro de nós mesmos(as), precisamos reconhecer quem somos, e você deve estar se perguntando por onde começar, e a resposta é simples, se olhe no espelho, reconheça seus traços, talvez há muito tempo você já não o faz.

Uma das técnicas que utilizo em consultório chama-se Alinhamento da História de Vida, e considero esta etapa tão importante que aplico em praticamente todos os meus clientes, estarmos alinhados com nossa própria história, traz uma acolhimento mais profundo para conosco e com aqueles personagens que passaram por nossa vida.

Um dos pressupostos da PNL com o qual mais me identifico é que todos nós fazemos o melhor que podemos com os recursos que possuímos naquele momento de vida, ou seja, sempre podemos ser melhores, podemos alcançar níveis nunca imaginados, basta começarmos a acolher quem verdadeiramente somos.

Este mergulho é fácil? NÃO, mas é possível? SIM!!! Lembre-se das vezes em que alguém quis te apresentar alguém novo e você logo de cara rejeitou a possibilidade sequer de uma amizade, mas aos poucos com jeito, aquela pessoa foi se achegando a você e bummmm, quando menos esperava estava com um novo olhar, já tinha desenvolvido uma amizade e quem sabe até já tinha se apaixonado.

Consigo mesmo não é diferente, precisamos primeiramente quebrar a barreira da rejeição, esta mesma que faz você se sentir inadequado(a), chata(o), incapaz…… feio(a). E para que todos estes sentimentos e sensações negativas mudem, é preciso que você se observe com mais carinho, cuidado e atenção, é você reconquistando você de novo.

É importante você explorar suas forças internas, responder as perguntas seguintes pode te ajudar a ter uma visão menos embaçada sobre si.

  • Quais características que você possui e que te fazem sentir felicidade quando as utiliza?
  • Quais as características positivas você considera que mais precisa neste momento?
  • Quais as coisas que já realizou na vida (ainda que pareçam simples) que lhe dão entusiasmo quando pensa?
  • Pense em 3 pessoas que você admira ou admirou (pode ser do passado ou do presente, vivos ou não), quais as características positivas estas pessoas possuíam ou atuavam no mundo?

Algo fantástico que ouvi uma vez de um dos meus mentores foi o seguinte, certo dia eu estava fazendo para ele um elogio, do quanto o considerava e achava ele incrível em seu trabalho, que realmente ele era brilhante, então ele se voltou para mim e disse: – Mari que maravilha que você já se vê desta maneira!; Claro que fiquei meio perdida, não estava falando de mim e sim dele, então ele me disse: – Somente conseguimos enxergar no outro o que já temos em nós mesmos.

Ual que lição aprendi aquele dia, esta simples frase me trouxe muito mais autoconfiança para realizar meus estudos e posteriormente iniciar com os atendimentos, ficou muito claro para mim que eu precisava me olhar mais atentamente, com mais carinho inclusive, e foi o que eu fiz de lá para cá incansavelmente.

E como tem sido maravilhosas as descobertas, talvez você se pergunte se não tenho encontrado coisas que não gostaria de ver, simmmmm e muitas, porém a cada vez que olho mais profundamente, também encontro um motivo a mais para me sentir honrada com minha jornada de vida.

O fato de você ser positiva em seus pensamentos e visão sobre si mesma(o) não faz com que os pensamentos negativos simplesmente desapareçam, mas com toda certeza faz com que você aprenda a não dar tanta importância para o negativo, pois reconhece que tem mais coisas positivas para serem focadas.

Permita-se quebrar este paradigma de que as pessoas não mudam, mudam simmm e mudam muito, a cada dia, a cada novo aprendizado e especialmente quando se permitem mergulhar em águas profundas dentro de si.

O que você rejeita de fere, o que você acolhe te cura, já falei isso anteriormente e repito aqui por entender que enquanto você não parar de se julgar, se arrebentar e se autodestruir nada acontecerá na sua vida, esta jornada é única, faça ela valer a pena, e ainda que você até hoje não tenha feito algum movimento rumo a mudança, hoje é o tempo e a hora exatos para se dar esta oportunidade.

Acredite em você, recomece quantas vezes for necessário, mas não desista deste relacionamento que de fato realmente vale a pena, você com você……… estando bem consigo, o mundo ao seu redor irá mudar, seus relacionamentos serão mais assertivos, no trabalho terá mais êxito e até a sua saúde agradecerá.

Permita-se……………. Um abraço com o doce aroma da infância da laranja doce.

Mari Santana – Coach & Terapia Sistêmica